Eventos Naturais

Profissional do CVS conclui pesquisa acadêmica sobre microrganismos resistentes ao tratamento da água

16/05/2017


O diretor do Grupo Técnico de Saúde Ambiental do CVS, Marcel Oliveira Bataiero, obteve título de Doutor em Ciências na Faculdade de Saúde Pública da USP ao apresentar pesquisa sobre ocorrência e caracterização dos protozoários Giardia e Cryptosporidium em águas captadas para abastecimento público e avaliação do risco associado ao seu consumo pela água potável.
 
Segundo Bataiero, "em todo o mundo, o risco à saúde humana ocasionado pela contaminação biológica de águas captadas para abastecimento público é evidenciado pela ocorrência de surtos de doenças associadas aos protozoários Giardia e Cryptosporidium, que possuem baixas doses infecciosas e alta capacidade de sobrevivência no ambiente, além de serem capazes de resistir ao processo tradicional de desinfecção da água (cloração)".
 
Neste contexto, o estudo se propôs a verificar a ocorrência destes protozoários em águas captadas para abastecimento público, caracterizar sua patogenicidade e avaliar o risco associado ao seu consumo através da água tratada em um município da Região Metropolitana de São Paulo, "partindo-se da hipótese de que há um risco de infecção por estes protozoários pela ingestão de água tratada por métodos convencionais e que fazem uso de mananciais superficiais impactados por contaminação biológica".
 
Ainda de acordo com o técnico, "os resultados evidenciaram que a vulnerabilidade do manancial estudado a contaminações biológicas pode culminar em um risco elevado de infecção e adoecimento por Giardia e Cryptosporidium pela ingestão de água tratada. Portanto, tal achado é relevante tanto do ponto de vista do tratamento e abastecimento de água potável quanto da degradação e contaminação do manancial, demonstrando a necessidade de se estabelecer medidas de intervenção direcionadas a promover a qualidade da água e garantir sua segurança".
 
A tese em questão é fruto das estratégias do Centro de Vigilância Sanitária para qualificar seu quadro técnico e das interlocuções entre a Divisão de Meio Ambiente e o Departamento de Saúde Ambiental da Faculdade de Saúde Pública da USP visando aproximar demandas de serviço e acadêmicas.
 
Sérgio Valentim, diretor de Meio Ambiente do CVS e membro da banca examinadora, entende que "é imprescindível a qualificação permanente em gestão e a apropriação de métodos científicos pelos profissionais de um órgão central de Vigilância, responsável pelo estabelecimento de referências técnicas e de políticas integradas para o controle do risco sanitário em um território repleto de complexidades como o do Estado de São Paulo".