Agenda


9º Seminário Água e Saúde



Data/hora início: 04/12/2019 08:00
Data/hora fim: 05/12/2019 17:00
Local: SESC GUARULHOS - Rua Guilherme Lino dos Santos, 1.200, Jardim Flor do Campo GUARULHOS - SP CEP: 07190-010 -
Promoção: Centro de Vigilância Sanitária
Público Alvo: Profissionais das diferentes esferas do Sistema Único de Saúde (SUS) e dos órgãos de Meio Ambiente, de Saneamento e de Recursos Hídricos, estudantes e pesquisadores das universidades, representantes da sociedade civil, além de especialistas e gestores de outras instituições públicas e privadas que tenham interface com o tema.
Restrito ao SEVISA: Não


Inscrições on-line

Vagas: 300 - Clique aqui para se inscrever
Inscrições até: 04/12/2019
E-mail responsável: sama@cvs.saude.sp.gov.br


Programação/Conteúdo:


Apresentação

 Sou apenas um homem.

Um homem pequenino à beira de um rio.

Vejo as águas que passam e não as compreendo
 
Carlos Drummond de Andrade

 

A água potável é importante para o pleno desfrute da vida e essencial para promover e preservar a saúde da população.  O gesto, de aparência banal, estreitamente atrelado aos hábitos urbanos, de abrir e fechar a torneira e dela se valer da boa água é conquista civilizatória de grande valor. A vida contemporânea, das grandes coletividades, dos riscos regulados e ponderados com base no bem-estar social, implica o acesso comum e seguro a produtos e serviços imprescindíveis à saúde, como é o caso da água.

A água destinada ao consumo humano tem, portanto, relevância pública e a garantia da potabilidade requer arranjos institucionais criativos e a constante mobilização dos diferentes segmentos da sociedade. 

Embora o Sistema Único de Saúde (SUS), por meio de suas esferas de promoção e proteção da saúde, tenha atribuições constitucionais de vigiar a qualidade da água destinada ao consumo humano, sua importância e as intrincadas variáveis envolvidas no processo de produção de água justificam que o olhar sobre a questão seja amplo, não só no tocante aos aspectos técnicos, mas também a respeito do lugar que o assunto ocupa no campo das políticas públicas.

Cabe, então, enfatizar o direito de acesso à água segura e as vulnerabilidades inerentes aos sistemas de produção de água potável, geralmente voltados às grandes coletividades e em territórios complexos, sujeitos ao acúmulo histórico de riscos e impactos da ação humana.

É este contexto que motiva a realização do 9º Seminário Estadual Água e Saúde, promovido pelo Centro de Vigilância Sanitária do Estado de São Paulo, juntamente com a Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo e um amplo conjunto de instituições parceiras. O evento tem se consolidado como fórum de excelência em São Paulo e no país para divulgar e promover o debate dos avanços e desafios relacionados à água que a sociedade consome.

O que nos faz beber água da torneira?” é a indagação que norteia o evento deste ano. Ela sugere levar em conta tanto o ato primordial de saciar a sede e outras necessidades humanas como também os atuais instrumentos e aparatos civilizatórios que intermediam vínculos entre as premências do homem e os recursos ofertados pela natureza.

O abrir a torneira é, deste modo, ato simbólico e efetivo de proteger a saúde. Aparentemente simples, o manuseio dessa válvula oculta um complexo intrincado de relações, todas essenciais para que os cidadãos paulistas tenham à sua disposição água potável.

Entre estas, estão um conjunto de iniciativas: evitar o crescimento desordenado nas áreas de mananciais, promover a gestão integrada dos recursos hídricos, controlar as fontes de poluição, monitorar a qualidade dos recursos hídricos, garantir rede laboratorial e acreditação dos ensaios, promover pesquisas e inovações tecnológicas em saneamento, regular os serviços de saneamento, construir arcabouços legais compatíveis com os contextos de produção da água, monitorar doenças de veiculação hídrica, construir estruturas hidráulicas compatíveis com a disponibilidade e a demanda, estabelecer regras de vazão e de outorga, fomentar políticas de educação e cultura para uso racional dos recursos hídricos, inspecionar sistemas e soluções alternativas de abastecimentos de água etc.

Tais iniciativas convergem para um diálogo mais amplo, global, a respeito das ações comuns para transformar o mundo em um lugar melhor e mais seguro para se viver, sintetizadas nos 17 Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS), acordados internacionalmente no âmbito da Organização das Nações Unidas (ONU). O Objeto 6, “Água potável e saneamento”, é o propósito que nos une no arranjo mais largo das nações: “Assegurar a disponibilidade e gestão sustentável da água e saneamento para todas e todos”.

Se há muito a ser feito, muito há a ser debatido. Pois assim, convidamos todos a participar desta iniciativa voltada ao tema água e saúde, que, juntamente com os seminários “Segurança Química/Áreas Contaminadas e Saúde” e “Hospitais Saudáveis”, compõem o ciclo anual de eventos organizados pelo Centro de Vigilância Sanitária e parceiros – cuja tema comum em 2019 serão os ODS – para debater assuntos de extrema relevância para a qualidade de vida e saúde da população paulista.

PROGRAMAÇÃO PRELIMINAR PODE SER ACESSADA CLICANDO-SE AQUI